Fim do Projeto M0n0wall

Entusiastas M0n0wall Queridos,

neste dia, há 12 anos, eu tinha lançado a primeira versão do M0n0wall ao público. Em teoria, ainda se podia executar essa versão – pb1 era chamado – em um PC adequadamente velho e usava-o para controlar o acesso à Internet de uma pequena LAN (não que seria recomendável em termos de segurança). No entanto, o mundo continua girando, e enquanto m0n0wall tem feito um esforço para manter-se, agora existem melhores soluções disponíveis e em desenvolvimento ativo.

Por isso, hoje eu anuncio que o projeto m0n0wall terminou oficialmente. No desenvolvimento será feito mais, e não haverá novas libertações.

Os fóruns e a lista de discussão serão congelados no final deste mês. Todos os conteúdos do site, repositório, os downloads, lista de discussão e fórum serão arquivados em um local permanente na web para que eles permaneçam indefinidamente acessível a qualquer um que possa estar interessado neles.

O M0n0wall tem servido como a semente para vários outros projetos de código aberto bem conhecidos, como o pfSense, FreeNAS e AskoziaPBX. A mais nova prole, OPNsense (https://opnsense.org), tem como objetivo continuar o espírito de código aberto do M0n0wall ao atualizar a tecnologia para estar pronto para o futuro. Na minha opinião, é a maneira perfeita de trazer a idéia M0n0wall em 2015, e eu encorajo a todos os usuários M0n0wall atuais de verificar OPNsense e contribuir, se puderem.

Finalmente, gostaria de aproveitar esta oportunidade para agradecer a todos os que estiveram envolvidos no projeto M0n0wall e ajudou de alguma forma ou de outra – por contribuir com o código, documentação, respondendo a perguntas sobre a lista de discussão ou o fórum, doando ou apenas espalhar a palavra . Tem sido uma grande jornada para mim, e estou convencido de que, mesmo agora que chegou ao fim, o espírito m0n0wall vai viver nos vários projetos que tem gerado.

Manuel Kasper
15 de fevereiro de 2015

4G poderá não dar conta da demanda daqui a três anos

Quase uma década depois do leilão de frequências da Anatel, não é raro enfrentar problemas ao usar redes 3G, que ficam congestionadas especialmente devido ao grande número de clientes usando a mesma estrutura. Nas redes 4G, que ainda têm poucos usuários, as velocidades continuam boas. Mas até quando? Segundo uma pesquisa da Amdocs, isso não deve durar mais do que dois ou três anos.

3g-lte

Eles afirmam isso com base no alto crescimento da demanda por dados em redes móveis. Com mais dispositivos conectados e serviços usando cada vez mais tráfego, a estimativa é que o uso de dados móveis aumente 42,5% por ano. Outro problema é que a concentração de dados está longe de ser uniforme: 20% dos locais de maior acesso são responsáveis por 80% de todo o tráfego.

Com essa taxa de crescimento, apenas aumentar a estrutura do 4G não seria suficiente: as operadoras teriam que investir em soluções alternativas, como os hotspots Wi-Fi, para desafogar a rede. No Brasil, algumas operadoras já oferecem Wi-Fi para os clientes, como a Oi, que comprou a antiga Vex, e a Claro, que possui redes Wi-Fi espalhadas em locais de alto tráfego em várias cidades.

Em relação aos dispositivos móveis, a Amdocs diz que os usuários de iOS consomem 50% mais dados que os de Android — um dos motivos é que no primeiro grupo há uma concentração bem maior de aparelhos topo de linha. Os donos de iPhone 6 Plus contribuem para boa parte dessa estatística: com telas maiores para consumir conteúdo, eles gastam 40% mais tráfego que os de iPhone 6.

Você pode fazer o download do estudo completo nesta página.

Fonte: Tecnoblog
Autor: Paulo Higa

Cientistas descobrem que neurônios funcionam de forma semelhante ao Facebook

Uma pesquisa da Universidade de Basel chegou à conclusão de que as ligações entre os neurônios têm funcionamento semelhante à organização dos contatos em redes sociais.

neural-networking.jpg.499x332.auto

Isso porque, embora cada célula neural esteja conectada com muitas outras, apenas as mais parecidas apresentam uma ligação mais forte. É exatamente o mesmo conceito de amizade empregado pelo Facebook.

A rede social de Mark Zuckerberg permite que os usuários adicionem milhares de contatos, mas só destaca conteúdo daqueles que efetivamente têm semelhança – ou afinidade – com quem os adicionou.

“Contatos fracos no cérebro têm pequeno impacto, apesar de serem a maioria”, explicou Thomas Mrsic-Flogel, líder dos pesquisadores das universidades de Basel e de Londres, em texto publicado na Nature e repercutido pela Info.

“As poucas conexões fortes de nerônios com funções similares exercem mais influência na atividade de seus parceiros. Isso poderia ajudá-los a trabalhar juntos para amplificar informações específicas do mundo lá fora.”

Tecnologia para Pequenas e Médias Empresas, a Cisco tem!

A tecnologia tornou-se vital para qualquer empresa, independente do seu ramo de negócios. Quando falamos em pequenas empresas com uma taxa de sobrevivência média de 2 anos, fica ainda mais evidente essa necessidade de acompanhar o ritmo do mercado, alcançando melhor desempenho, maior competitividade e menor custo operacional.

Cada empresa possui uma necessidade de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) de acordo com seu tamanho e tipo de operação, para isso o abrangente portfolio de produtos da Cisco consegue endereçar cada cliente com o equipamento que se encaixe a sua realidade, necessidade e orçamento.

Atualmente temos uma linha completa de produtos focados para mercado PME (Pequenas e Médias Empresas) como Switches, Roteadores, Access Points, etc. Um ponto que gostaria de ressaltar sobre essa família, é que ainda ouvimos falar sobre ela como sendo a “segunda linha da cisco” ou “equipamentos da Linksys”, no entanto esta não é uma segunda linha e sim equipamentos desenvolvidos para atacar um mercado de acordo com suas características que nesse caso é o mercado de PMEs. Sobre a Linksys, estes equipamentos vieram junto com seu portfolio de produtos na aquisição da Linksys pela Cisco em 2003, e desde essa aquisição a Cisco manteve a marca Linksys para produtos residenciais e absorveu os outros equipamentos para sua linha de Cisco Small Business, tanto que em 2013 a Linksys foi vendida a Belkin e os equipamentos Cisco Small Business continuaram legitimamente Cisco, mantendo sua inovação, desenvolvimento e suporte.

Para deixar este mito de lado, vamos falar um pouco de um dos meus equipamentos preferidos da família Small Business, o nosso Switch da Série 300, antes conhecido como SRW (SRW224G4 por exemplo).  Um switch perfeito para o mercado PME, provendo:

Conectividade Segura: ACLs, 802.1x, BPDU Guard, DAI, IP Source Guard, TACACS+, SSL, SSH, SNMP, etc. No final, toda essa sopa de letrinhas, vai garantir que quando seu usuário conecte seu equipamento no Switch, esteja protegido de eventuais ataques no Acesso.

Qualidade de Serviços: Todos temos prioridades e para nosso trafego na rede não é diferente. Ao conectar um Telefone IP ou fazer uma Vídeo Chamada em seu computador, essa comunicação é em tempo real e exige uma maior atenção ao trafegar pela rede para que não haja nenhuma degradação de qualidade ou na experiência do usuário, traduzindo, aqueles picotes de voz ou travadas no vídeo. Para endereçar isso, temos um conjunto de ferramentas de QoS e Politicas de Tráfego embarcadas no Switch e novamente mirando as necessidades das PMEs.

Gerenciamento Robusto e Simples: Como estamos falando de PMEs, um bom número delas não possui uma equipe de TIC própria ou então composta por especialistas em cada tecnologia. Um gerenciamento simples, fácil e 100% via Interface Gráfica (WebGUI) é essencial para a empresa conseguir usufruir ao máximo do switch com todas suas capacidades.

Automação: Batendo novamente na tecla da equipe de TIC, já pensou toda vez que um usuário precisar trocar de mesa, alguém da equipe ter que entrar no equipamento, ver em qual porta o computador e telefone do usuário estão conectados, ver a quais portas ele irá conectar e depois reconfigurar essas novas portas? Com os Switches Cisco Série 300, este usuário pode tirar seu computador e telefone das portas atuais e conectar normalmente em seu novo local de trabalho que o Switch irá identificar automaticamente qual o tipo de dispositivo e aplicar as configurações nas novas portas, mantendo a Segurança e Qualidade de Serviço. Esta funcionalidade é conhecida como Auto SmartPorts.

Economia de Energia:  Além de toda sua capacidade, os Switches da Série 300 suportam o EEE (Energy Efficient Ethernet) para economizar  energia nos horários de menor trafego na rede. Também podem desligar uma porta caso não haja link conectado ou ajustar a potência enviada para o cabo de acordo com o comprimento deste cabo.

Como podem notar, estamos falando de equipamentos poderosos, capazes de suprir suas demandas de conectividade e comunicação atuais e futuras. E não só olhando qual é a velocidade da porta a qual vou conectar o cabo.

Quando formos olhar para os equipamentos de TIC temos que pensar como em nosso dia a dia, decidir pelo benefício e não só pelo preço, ver os valores que aquele produto vai agregar para a sua empresa, a confiança de sua marca e a satisfação de seus atuais consumidores.

Ficou interessado? Deixe um comentário abaixo.

Em seguida podem encontrar o link para essa linha Cisco Small Business e outro link interessante comparando nosso Switch 300 com seus principais concorrentes e os resultados obtidos.

Cisco Small Business http://www.cisco.com/web/BR/solucoes/commercial/index.html

Relatório Miercom sobre Switches para PMEs

http://www.cisco.com/c/dam/en/us/products/collateral/switches/small-business-smart-switches/miercom_report_smb_switch_comparison.pdf

Fonte: Blog Cisco

Autor: Andrey Cassemiro

Estados Unidos terão regras para garantir neutralidade da rede

Presidente de órgão regulador das comunicações no país afirma que apresentará normas para preservar a liberdade de navegação na internet

O presidente da Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês), Tom Wheeler, afirma que apresentará a seus colegas nesta semana novas regras para preservar a internet como uma “plataforma aberta para a inovação e a liberdade de expressão”. Ele publicou uma carta aberta no site da Wired, explicando como trabalhará para garantir a neutralidade da rede.

Wheeler afirma que usará o poder de regulação da FCC para submeter ao grupo “as proteções mais fortes à internet aberta já propostas”. As novas regras devem proibir que provedores favoreçam o tráfego para determinados serviços que pagarem por isso e também que serviços e conteúdos lícitos sejam bloqueados. Wheeler promete também que as regras serão aplicadas totalmente, pela primeira vez, às redes móveis. “A internet precisa ser rápida, justa e aberta”, diz Wheeler.

No Brasil, o Marco Civil da Internet, aprovado em 2014, determina que aneutralidade da rede é uma obrigação dos provedores. Entretanto, há discussão se fato ela está garantida pelos termos da lei e o seu alcance.

Fonte: Época

Next Page →